fbpx

Conheça 10 Princípios de Valuation

Entender os princípios por trás do Valuation pode significar a diferença entre uma avaliação bem-sucedida e um desastre financeiro.

Neste artigo, abordaremos os princípios mais críticos que todo empresário, investidor ou stakeholder deve conhecer.

Leia aqui: O que é valuation?

Conheça os Princípios de Valuation

Embora diferentes especialistas possam destacar diferentes aspectos, aqui estão alguns dos princípios mais comumente aceitos:

 

 

Princípios de Valuation 1: Valor Temporal do Dinheiro

O Princípio do Valor Temporal do Dinheiro é um conceito financeiro fundamental que afirma que o valor do dinheiro muda ao longo do tempo.

Em outras palavras por exemplo, que um dólar hoje é mais valioso do que um dólar no futuro. Isso ocorre porque o dinheiro que você possui agora tem o potencial de ser investido e ganhar juros ou rendimentos.

Por Que Este Princípio é Importante?

Ele é a base para conceitos como juros compostos, valor presente líquido e Fluxo de Caixa Descontado (FCD), métodos frequentemente utilizados em avaliações de negócios, análises de investimento e planejamento financeiro.

Quando você entende o valor temporal do dinheiro, pode avaliar melhor as opções de investimento, determinar a viabilidade de projetos e entender o verdadeiro custo do endividamento. Além disso, permite que você faça comparações justas entre quantias de dinheiro que você pode receber ou pagar em momentos diferentes.

Como Funciona?

O dinheiro hoje pode ser investido em várias classes de ativos, como ações, títulos ou imóveis, para gerar mais dinheiro no futuro. Portanto, perder a oportunidade de investir dinheiro hoje é, essencialmente, perder a chance de aumentar seu valor no futuro. Ao calcular o valor de um investimento ou projeto, é vital considerar a taxa de desconto, que é a taxa de retorno que você poderia obter ao investir o dinheiro em uma oportunidade alternativa com risco semelhante.

Exemplo Prático

Imagine que você tenha a opção de receber R$1.000 hoje ou R$1.000 daqui a um ano. Suponha que você possa investir esse dinheiro em uma conta de poupança que paga uma taxa de juros anual de 5%.

Se você optar por receber os R$1.000 hoje e investi-los na conta de poupança, terá R$1.050 daqui a um ano. Portanto, perder a oportunidade de ter esse dinheiro hoje seria o mesmo que abrir mão de ganhar R$50 em juros.

 

Princípios de Valuation 2: Racionalidade Econômica

O Princípio da Racionalidade Econômica sugere que investidores e gestores buscam otimizar seus retornos ajustados ao risco. Isso significa que para um determinado nível de retorno esperado, o objetivo é minimizar o risco; e para um dado nível de risco, o objetivo é maximizar o retorno.

Em termos simples, este princípio está ligado à ideia de “obter mais pelo seu dinheiro”, considerando tanto o potencial de ganho quanto o risco associado.

Como Funciona?

O Custo Médio Ponderado de Capital é calculado usando a média ponderada dos custos de diferentes fontes de financiamento, como dívida e capital próprio. Ao utilizar o WACC como a taxa de desconto em uma avaliação de FCD, você está incorporando tanto o risco quanto o retorno esperado na sua avaliação. Isso ajuda a fazer uma avaliação mais precisa e realista do valor de um investimento ou empresa.

Por Que Este Princípio é Importante?

Entender esse princípio é vital para fazer escolhas de investimento e para a gestão eficaz de uma empresa. Ele é frequentemente utilizado para determinar o Custo Médio Ponderado de Capital (WACC, na sigla em inglês), que é a taxa de desconto usada em avaliações de Fluxo de Caixa Descontado (FCD).

O WACC representa a taxa de retorno que uma empresa deve gerar para satisfazer todos os seus investidores, incluindo acionistas e credores, considerando o nível de risco envolvido.

Exemplo Prático

Vamos supor que você esteja avaliando duas oportunidades de investimento:

Um fundo mútuo que promete um retorno anual de 7%, mas é altamente volátil.

Um título do governo que oferece um retorno anual de 4%, mas é muito menos arriscado.

Pelo princípio da racionalidade econômica, você não compararia esses investimentos apenas olhando para o retorno. Em vez disso, consideraria o retorno ajustado ao risco.

Se o seu apetite por risco for baixo, você poderia optar pelo título do governo. Por outro lado, se você estiver disposto a assumir mais riscos para obter um retorno potencialmente mais alto, o fundo mútuo poderia ser mais atraente para você.

O mesmo conceito é aplicado quando uma empresa avalia diferentes projetos de investimento. Utilizar o WACC como taxa de desconto permite considerar tanto o risco quanto o retorno, ajudando a empresa a optar por projetos que oferecem o melhor retorno ajustado ao risco.

 

Princípios de Valuation 3: Continuidade Empresarial

O Princípio da Continuidade Empresarial é uma premissa básica em qualquer avaliação de negócios, que assume que a empresa em questão continuará suas operações por tempo indeterminado. Em outras palavras, a menos que haja evidências claras em contrário, assume-se que a empresa não está caminhando para a falência ou dissolução.

Por Que Este Princípio é Importante?

Este princípio é fundamental porque influencia todas as outras variáveis da avaliação, como fluxo de caixa futuro, taxa de crescimento e até mesmo o custo do capital. Se houver dúvidas sobre a continuidade da empresa, todas essas variáveis seriam impactadas negativamente, levando a uma avaliação muito menor do que se a continuidade fosse assumida.

Como Funciona?

Na prática, este princípio é incorporado em modelos de avaliação ao se projetar fluxos de caixa futuros e outras métricas financeiras com base na expectativa de que a empresa continuará operando. Esta é uma razão pela qual é comum ver projeções financeiras estendendo-se por vários anos ao avaliar uma empresa.

Exemplo Prático

Vamos considerar duas empresas: Empresa A e Empresa B. Ambas têm números de vendas e lucros semelhantes, mas a Empresa A opera em um setor estável e tem contratos de longo prazo com seus clientes. A Empresa B, por outro lado, está em um setor volátil e enfrenta incertezas regulatórias.

Aplicando o Princípio da Continuidade Empresarial, a Empresa A seria avaliada mais favoravelmente porque há uma expectativa razoável de que ela continuará operando no futuro previsível. Em contrapartida, a Empresa B enfrenta mais riscos que colocam em questão sua continuidade, o que seria refletido em uma avaliação mais baixa.

 

Princípios de Valuation 4: Oportunidade de Mercado

O Princípio da Oportunidade de Mercado sugere que o valor de uma empresa não reside apenas em seus ativos tangíveis ou em sua lucratividade atual, mas também nas oportunidades de mercado que ela tem à sua disposição. Isso pode incluir potenciais fusões e aquisições, novos mercados a serem explorados ou até mesmo a chance de desenvolver novos produtos ou serviços.

Por Que Este Princípio é Importante?

Entender este princípio é vital porque ajuda a avaliar uma empresa além das métricas financeiras tradicionais. Ele introduz uma dimensão futurista na avaliação, permitindo que investidores e empresários pensem estrategicamente sobre o crescimento e a escalabilidade da empresa.

Como Funciona?

Na prática, esse princípio pode ser aplicado através de métodos qualitativos e quantitativos. Pesquisas de mercado, análises SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças) e outras ferramentas estratégicas podem ser usadas para avaliar o potencial de oportunidade de mercado de uma empresa. Em termos quantitativos, este princípio pode ser refletido nas projeções de crescimento de receita e margens de lucro, particularmente em cenários mais otimistas.

Exemplo Prático

Suponha que você esteja avaliando duas startups de tecnologia. Ambas têm receitas e lucros similares, mas uma delas, a Startup A, tem uma tecnologia patenteada que pode ser aplicada em vários outros setores. A outra, Startup B, tem uma solução mais nichada, com aplicações limitadas.

Aplicando o Princípio da Oportunidade de Mercado, a Startup A provavelmente teria uma avaliação mais alta porque possui uma gama mais ampla de oportunidades de mercado. Essa startup não só pode crescer dentro de seu nicho atual, como também tem o potencial de diversificar e explorar novos mercados, aumentando assim o seu valor.

 

Princípios de Valuation 5: Diversificação do Risco

O Princípio da Diversificação do Risco sustenta que investidores podem — e deveriam — diversificar seus investimentos para mitigar riscos. A ideia é que ao distribuir o capital investido em diferentes ativos ou setores, o investidor pode reduzir o impacto negativo se um deles apresentar mau desempenho.

Por Que Este Princípio é Importante?

O risco é uma realidade inevitável no mundo dos investimentos e dos negócios. No entanto, a diversificação permite que o risco seja gerenciado de forma mais eficaz. Compreender este princípio é fundamental para quem quer fazer avaliações mais robustas, considerando tanto o perfil de risco da empresa quanto as maneiras de mitigá-lo.

Como Funciona?

Este princípio é frequentemente levado em conta quando se utiliza o Modelo de Precificação de Ativos Financeiros (CAPM) para calcular o custo do capital próprio de uma empresa. No CAPM, o beta de um ativo (que mede a sua volatilidade em relação ao mercado como um todo) é ajustado para refletir o benefício da diversificação.

Exemplo Prático

Vamos considerar que você é um investidor avaliando duas empresas do mesmo setor. Empresa A tem operações apenas no Brasil, enquanto a Empresa B tem operações tanto no Brasil quanto em outros mercados emergentes. Mesmo que ambas as empresas mostrem métricas financeiras similares, a Empresa B poderia ser considerada menos arriscada sob o Princípio da Diversificação do Risco.

Isso porque, se o mercado brasileiro enfrentar uma crise, a Empresa A estará completamente exposta a esse risco, enquanto a Empresa B tem suas operações diversificadas e, portanto, um perfil de risco mais equilibrado.

 

Princípios de Valuation 6: Subjetividade

O Princípio da Subjetividade defende que a avaliação de uma empresa não é um número absoluto, mas sim uma estimativa que pode variar com base nos métodos, pressupostos e visões do avaliador. Em outras palavras, duas pessoas podem chegar a diferentes conclusões sobre o valor de uma empresa, mesmo utilizando as mesmas informações.

Por Que Este Princípio é Importante?

Compreender a subjetividade envolvida no Valuation é fundamental para não cair na armadilha de achar que o resultado de uma avaliação é definitivo e imutável. Isso também reforça a importância de ser transparente quanto aos métodos e pressupostos usados durante o processo de Valuation, para que outras partes possam avaliar a robustez da análise.

Como Funciona?

O princípio atua como um lembrete para considerar múltiplas abordagens e cenários durante o processo de Valuation. Isso pode incluir usar diferentes métodos de avaliação (como Fluxo de Caixa Descontado, Múltiplos de Mercado etc.) ou aplicar diferentes taxas de desconto para avaliar os riscos associados ao investimento.

Exemplo Prático

Imagine que você está avaliando a compra de uma pequena empresa de tecnologia. Você pode usar o método do Fluxo de Caixa Descontado para chegar a um valor. No entanto, um investidor com uma visão mais otimista sobre o crescimento futuro da empresa pode usar uma taxa de desconto menor, resultando em um valor de empresa mais elevado.

Ao mesmo tempo, um investidor mais conservador pode considerar o setor de tecnologia como altamente volátil e aplicar uma taxa de desconto maior, levando a um valor de empresa mais baixo.

 

Princípios de Valuation 7: Sinergia

O Princípio da Sinergia sugere que o valor de duas ou mais entidades combinadas pode ser maior do que a soma dos seus valores individuais. Este princípio é especialmente relevante em situações de fusões e aquisições, onde a combinação de recursos, talentos e mercados pode criar oportunidades e, consequentemente, um valor adicional.

Por Que Este Princípio é Importante?

Entender o conceito de sinergia é fundamental para avaliar o verdadeiro potencial de fusões, aquisições ou joint ventures. Não se trata apenas de somar os ativos e receitas de ambas as partes; é sobre entender como esses elementos funcionarão juntos para criar valor adicional.

Como Funciona?

A sinergia pode ser vista em várias formas, como redução de custos, aumento de receitas, melhorias operacionais, ou mesmo a entrada em novos mercados. A chave é identificar essas oportunidades de sinergia e quantificá-las na sua avaliação, o que muitas vezes exige uma análise cuidadosa e um entendimento profundo do negócio e do mercado.

Exemplo Prático

Imagine duas empresas do setor de software, Empresa A e Empresa B. Empresa A tem uma forte presença no mercado norte-americano, enquanto a Empresa B tem uma presença significativa na Europa. Uma fusão entre essas duas empresas não apenas combinaria seus ativos, mas também abriria oportunidades para entrar em novos mercados de forma mais eficaz do que se atuassem individualmente.

Se, ao analisar essa fusão, você identifica que a empresa combinada poderia aumentar as receitas em 20% e reduzir os custos em 10% através de eficiências operacionais, essas sinergias devem ser incluídas na sua avaliação.

 

Princípios de Valuation 8: Expectativa

O Princípio da Expectativa sugere que o valor atual de uma empresa ou ativo é influenciado pelas expectativas futuras. Em outras palavras, o valor hoje é uma reflexão das projeções de como a empresa ou o ativo irá performar no futuro, considerando fatores como receita, crescimento e riscos associados.

Por Que Este Princípio é Importante?

A importância deste princípio reside na necessidade de olhar além dos números atuais. Balanços, fluxos de caixa e outros indicadores financeiros fornecem uma fotografia do momento presente, mas não necessariamente representam o futuro da empresa. É o futuro que, em última análise, define se um investimento trará bons retornos.

Como Funciona?

Este princípio funciona incorporando uma variedade de cenários futuros nas suas avaliações. Isso pode incluir diferentes taxas de crescimento, mudanças no ambiente regulatório ou até mesmo a entrada de novos concorrentes no mercado. O objetivo é formar uma imagem mais completa e realista do que o futuro poderá trazer, permitindo uma avaliação mais precisa.

Exemplo Prático

Suponha que você esteja avaliando uma startup de tecnologia. Seu produto ainda não gerou receitas significativas, mas existe um grande mercado não explorado e uma tecnologia promissora. Pelo Princípio da Expectativa, você não avaliaria essa empresa com base apenas em seus números atuais. Em vez disso, você tentaria estimar como ela poderia capturar o mercado nos próximos anos, quão escalável é a tecnologia e quais são os riscos associados. Este conjunto de expectativas futuras seria então usado para determinar um valor justo para a empresa agora.

 

Princípios de Valuation 9: Comparação de Mercado

O Princípio da Comparação de Mercado defende que o valor de uma empresa ou ativo pode ser mais acertadamente avaliado quando comparado a entidades semelhantes no mesmo setor ou mercado. Esse princípio é especialmente útil no método dos múltiplos, que compara indicadores como P/L (Preço/Lucro), EV/EBITDA (Valor da Empresa/EBITDA), entre outros.

Por Que Este Princípio é Importante?

Este princípio é importante porque fornece um ponto de referência externo, tornando a avaliação menos suscetível a vieses internos. Se você está avaliando uma empresa de software, por exemplo, compará-la com outras empresas de software do mesmo tamanho, mercado-alvo e estágio de crescimento pode oferecer insights valiosos.

Como Funciona?

Para aplicar este princípio, identifique empresas “comparáveis” ou “comps” que atuam no mesmo setor e que tenham características similares às da empresa em questão. Em seguida, colete dados sobre essas empresas, como múltiplos de mercado e outras métricas financeiras. Use esses dados para calcular múltiplos semelhantes para a empresa que você está avaliando e assim ter uma visão mais clara do seu valor relativo.

Exemplo Prático

Suponha que você queira avaliar uma pequena empresa de jogos para dispositivos móveis. Ela ainda não é lucrativa, mas tem um crescimento significativo de usuários. Você pode olhar para outras empresas similares que também não são lucrativas mas estão crescendo rapidamente. Se essas empresas são avaliadas a um múltiplo de, digamos, 10 vezes a receita, isso pode ser um bom indicador do que seria um múltiplo de receita razoável para a empresa que você está avaliando.

 

 

Princípios de Valuation 10: Informação

O Princípio da Informação sugere que a qualidade e quantidade da informação disponível para a avaliação estão diretamente relacionadas à precisão e confiabilidade do valor determinado. Em outras palavras, quanto melhores as informações à sua disposição, mais preciso será o valuation da empresa ou do ativo.

Por Que Este Princípio é Importante?

Este princípio é vital porque o valuation não é uma ciência exata; ele é tão bom quanto os dados que o alimentam. Informações incompletas, desatualizadas ou imprecisas podem levar a avaliações errôneas, que, por sua vez, podem resultar em decisões empresariais ou de investimento inadequadas.

Como Funciona?

O processo de coleta de informações é uma etapa crítica em qualquer avaliação. Isso pode envolver a análise de estados financeiros, métricas operacionais, tendências de mercado, e outros fatores externos como cenários econômicos ou regulações. Certificar-se de que você está usando dados confiáveis e atuais é indispensável para uma avaliação precisa.

Exemplo Prático

Vamos supor que você esteja avaliando uma startup de tecnologia. Se você apenas olhar para os números atuais, como receitas e despesas, e ignorar informações qualitativas como a qualidade da equipe de gestão, a escalabilidade do produto ou o tamanho do mercado endereçável, sua avaliação pode ser imprecisa.

Da mesma forma, usar dados financeiros desatualizados ou premissas excessivamente otimistas pode inflar artificialmente o valor, levando a decisões erradas.

Conclusão

Cada um desses princípios funciona como uma lente, através da qual é possível avaliar não apenas o valor, mas também o potencial intrínseco de uma empresa ou ativo. Essa percepção oferece uma estrutura robusta para análises mais precisas e complexas.

Se você é um investidor querendo maximizar seus retornos, um executivo considerando uma fusão ou aquisição, ou mesmo um empreendedor buscando entender melhor seu mercado e suas oportunidades, esses princípios são ferramentas indispensáveis.

Em suma, o investimento em tempo e recursos para compreender e aplicar esses princípios de Valuation pode se traduzir em retornos significativos. O domínio desses princípios não apenas prepara você para avaliar corretamente o valor das oportunidades, mas também o habilita a executar estratégias mais eficazes.

E para aqueles momentos em que a precisão é absolutamente crítica, lembre-se de que profissionais especializados, como nós da Valuation Brasil, estão aqui para orientar e ajudar.

 

Por que Consultar Especialistas em Princípios de Valuation é Importante?

A verdade é que, embora as diretrizes sejam claras, a execução pode ser tudo menos simples. É aqui que entram os especialistas em Valuation.

Nem todas as empresas têm a experiência ou os recursos internos para realizar uma avaliação abrangente e precisa. Nós, da Valuation Brasil, entendemos que cada empresa é única e requer uma abordagem personalizada. Com anos de experiência no setor, podemos ajudar no Valuation, aplicando cada um dos princípios que você leu neste artigo.

Entre em contato ValuationBrasil

FAQ – Perguntas Frequentes

O que é Valuation? Valuation é o processo de determinar o valor intrínseco ou o valor de mercado de uma empresa ou ativo.

Por que o Valuation é importante? O Valuation é fundamental para várias decisões empresariais, desde fusões e aquisições até planejamento estratégico e captação de investimentos.

Quais são os principais princípios de Valuation? Alguns dos principais princípios incluem o Valor Temporal do Dinheiro, a Racionalidade Econômica, a Continuidade Empresarial.

Quando devo procurar assistência profissional para Valuation? Você deve considerar assistência profissional quando estiver planejando uma fusão ou aquisição, buscando investimentos ou quando necessitar de uma avaliação precisa para outras decisões estratégicas.

Como a Valuation Brasil pode ajudar no processo de Valuation? A Valuation Brasil oferece uma abordagem personalizada, competência técnica e integridade na avaliação do seu negócio, garantindo que você alcance o máximo valor possível.

 

Tags :
Princípios de Valuation

Posts Relacionados

Estratégias de Valuation para PMEs
PMEs

Estratégias de Valuation para Pequenas e Médias Empresas

Compreender o valor da sua PME é essencial no ambiente empresarial competitivo de hoje. A avaliação, ou valuation, não é apenas sobre estimar um valor financeiro; é uma ferramenta crítica para compreender aspectos do seu negócio que demandam atenção e aprimoramento. Para você, gestor ou dono de uma pequena ou média empresa, esse entendimento irá […]

Leia Mais »
Valuation

Valuation para PMEs: Guia para Pequenas e Médias Empresas

A Importância do Valuation para PMEs Para pequenas e médias empresas (PMEs), realizar um valuation eficaz é essencial para atrair investidores, tomar decisões estratégicas informadas e, até mesmo, preparar-se para uma venda futura. Este artigo desvenda o conceito de valuation para PMEs, destacando sua importância e aplicabilidade no cenário empresarial atual. Valuation é o processo […]

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *