fbpx

Estratégias para levantar recursos: quanto e quando arrecadar!

É possível encontrar diversos conteúdos sobre captação de recursos para startups, seja para solidificar sua avaliação, fazer projeções financeiras ou como planejar o cronograma de captação. Empreendedores podem ter um roteiro bem definido para captação de capital , mas como saber quando é a hora certa? Neste artigo, você vai entender alguns fatores que, geralmente, são negligenciados e podem te ajudar a levantar capital para sua startup e quanto você deve levantar na rodada. Confira! 

 

12 meses + 50% de margem de segurança = 18 meses

 

Você já realizou suas projeções financeiras e calculou o fluxo de caixa negativo que precisa cobrir até conseguir alcançar sua próxima meta. Você percebe que é um valor alto para pedir um empréstimo ou arcar com uma dívida de cartão de crédito, mas felizmente você fez seu planejamento com antecedência, de modo que ainda tem tempo para construir sua estratégia de captação, e planejar  o momento certo para implementá-la! 

Você deve levantar todo o capital que vai precisar logo no início? Levantar todo o capital necessário de cara vai lhe ajudar a economizar tempo e dor de cabeça em ter que fazer várias rodadas de investimento. Porém, capital mais cedo significa levantar recursos a um valuation mais baixo, abrindo mão de mais equity, reduzindo a motivação e o poder de barganhapara o futuro. 

Caso sua empresa precise do dinheiro, por que não levantar pequenas quantidades regularmente? Isso pode ser o mais eficiente em termos de equity, mas em contrapartida, você desperdiçaria tempo e energia que poderiam ser investidos na construção do negócio e geração de receita. 

 

Levantar muito cedo = Fundador abre mão de equity (patrimônio)

Arrecadar pouco dinheiro com muita frequência = Fundador perde tempo

 

A quantidade padrão de capital a ser arrecadada no estágio inicial é de 12 meses de necessidade com 50% de margem de segurança portanto, 18 meses é a regra de ouro para isso! Observe suas projeções financeiras para entender como os custos e as receitas se comportarão, à medida que você constrói o negócio, além do fluxo de caixa negativo que você precisa cobrir durante esse tempo. 18 meses é uma média ampla que não abrange todos os cenários, mas pode ser bom ponto de partida. A arrecadação de recursos deve ser ajustada baseando-se nos seguintes fatores: Indústria, Metas e Crescimento. 

 

Arrecadação de Recursos de acordo com a Indústria

A indústria é o principal fator que você precisará observar para saber quanto e quando irá precisar do investimento, pois, diferentes setores podem precisar de diferentes quantias em momentos distintos. Softwares são geralmente mais baratos para começar, porém os custos crescem ao longo do tempo, à medida que os recursos e as demandas de manutenção crescem também. Isso resulta em negócios com menor risco, por isso, investir em softwares e tecnologia tem sido um dos nichos favoritos dos investidores. 

Por outro lado, empresas de hardware precisam de muito mais capital inicial para cobrir a demanda da produção, assim como indústrias farmacêuticas, que precisam de alto capital para P&D e ensaios clínicos. Empresas de jogos podem ser um exemplo de setor que costuma receber todo o investimento adiantado, uma vez que o dinheiro começa a aparecer somente no dia do lançamento do produto. Apesar de representar um risco inicial maior para os investidores, também não são substituídas com facilidade por outras startups, uma vez que conseguem se estabelecer. 

 

Arrecadação de Recursos de acordo com as Metas

É comum que os proprietários queiram levantar capital o quanto antes para atingir suas metas mais rápido, como o lançamento de uma loja online, em que o gestor busca financiamento para iniciar as operações e gerar uma receita inicial para provar que existem clientes interessados no produto. Porém, é difícil que os investidores pensem da mesma maneira. 

Com isso, a avaliação da empresa aumenta à medida que o gestor prova suas suposições e projeções, demonstrando um racional para o negócio  e com resultados comprovados pelos testes realizados. Uma das maneiras mais óbvias de fazer isso é já ter clientes, com receita e dados do público, antes mesmo de entrar em contato com os possíveis investidores. Por isso, levantar capital depois de atingir uma meta é muito mais interessante, combinado a uma projeção de conquistas futuras baseadas no que foi provado até aquele momento. 

Essa abordagem é como se o proprietário estivesse saltando pelas ilhas: ele arrecada dinheiro para ir até a próxima ilha, onde pode atingir o próximo marco. Com isso, o gestor tem recursos suficientes para levantar mais capital para chegar à próxima ilha, e assim por diante.

 

Arrecadação de recursos de acordo com o Crescimento

Para algumas startups, o ritmo de arrecadação de recursos pode ser influenciado pelo ritmo de crescimento do mercado. Esse é o caso de empresas B2C, que alcançam o primeiro lugar ao se movimentarem em um mercado extremamente competitivo e, em seguida, precisam manter essa vantagem investindo mais do que a concorrência para alimentar seu crescimento. 

Exemplos de abordagem como essa são empresas como a Uber, que fez duas grandes rodadas de investimento por ano, entre 2012 e 2018, e conseguiu desenvolver uma reputação pelo baixo custo. Assim como o Rappi, que se tornou conhecido por investir muito dinheiro com a aquisição de clientes. Empresas como estas buscam arrecadar investimento a cada 6 meses, em média, se estiverem focadas no supercrescimento e no momento em que o investimento estaria na responsabilidade dos fundadores. 

De forma geral, não existe mágica para descobrir o que será do futuro. Mas estimar o momento e a quantia certa de arrecadação de recursos é um plano fundamental para todas as empresas que buscam crescer através das rodadas de investimento. A conclusão é que, entre levantar quantidades maiores com menos frequência ou levantar com mais frequência – otimizando o equity , mas aumentando o tempo dedicado à captação de recursos vai depender de uma série de fatores únicos a cada negócio. 

 

Se você ainda ficou com alguma dúvida sobre a captação de recursos para o seu negócio, entre em contato com a Valuation Brasil e descubra quanto vale sua empresa! Nossos especialistas entrarão em contato para realizar uma análise personalizada para o negócio.



Tags :
ativo de um negócio,como calcular o valuation,como calcular quanto vale minha empresa,como calcular valuation,como conseguir investidores para minha empresa,como manter o fluxo de caixa positivo,como saber o valuation da empresa,método para calcular o valuation de uma empresa,quanto custa minha empresa,quanto vale minha empresa,valuation de empresa,valuation de empresas,valuation por multiplos

Posts Relacionados

Estratégias de Valuation para PMEs
PMEs

Estratégias de Valuation para Pequenas e Médias Empresas

Compreender o valor da sua PME é essencial no ambiente empresarial competitivo de hoje. A avaliação, ou valuation, não é apenas sobre estimar um valor financeiro; é uma ferramenta crítica para compreender aspectos do seu negócio que demandam atenção e aprimoramento. Para você, gestor ou dono de uma pequena ou média empresa, esse entendimento irá […]

Leia Mais »
Valuation

Valuation para PMEs: Guia para Pequenas e Médias Empresas

A Importância do Valuation para PMEs Para pequenas e médias empresas (PMEs), realizar um valuation eficaz é essencial para atrair investidores, tomar decisões estratégicas informadas e, até mesmo, preparar-se para uma venda futura. Este artigo desvenda o conceito de valuation para PMEs, destacando sua importância e aplicabilidade no cenário empresarial atual. Valuation é o processo […]

Leia Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *